Postado por: Raquel Borsari em 06/dez/2018 |

Médico de Ubaporanga se manifesta sobre acusação de ausência em posto de saúde não justificada

Leia na íntegra a nota de esclarecimento enviada pelo médico Wellington de Souza Mata

Em nota enviada ao jornalismo do SC na manhã desta quinta-feira (06/12), o médico pediatra Wellington de Souza Mata se manifestou através de um nota de esclarecimento sobre o episódio ocorrido no último dia 04. Ele foi abordado por prefeito e vereadores de Ubaporanga na porta de uma unidade de saúde em Caratinga que pediam explicação para ausência de atendimento em Posto de Saúde. A abordagem foi gravada e publicada nas redes sociais.

Em nota, o médico denomina a ação e a gravação por parte dos vereadores e do prefeito como “inescrupulosa e de cunho manifestadamente político”, destacando “foi feita uma gravação, sem minha autorização e divulgada em meios de comunicado e redes sociais das mais diversas, sem que os fatos fossem averiguados e sem que eu pudesse me manifestar”. O médico se refere à abordagem realizada pelos políticos.

Em apuração sobre o caso, os vereadores concederam entrevista ao jornalismo do SC nesta última quarta-feira (05/12) e explicitaram que o pediatra não comparecia para realizar os atendimentos no Posto de Saúde de Ubaporanga há cerca de duas semanas e, conforme os legisladores, apresentar nenhum documento ou justificativa. Reveja: https://www.youtube.com/watch?v=Z-NHjTZG19Q

Em nota, o médico justifica “assim venho esclarecer que desde 18/11/2018 estou acometido de labirintite e esgotamento mental fazendo uso de medicamentos constantes, e mesmo assim em 21/11/2018 fiz atendimento em Ubaporanga, pois haviam pacientes me esperando e eu jamais deixei nestes quase 20 anos de profissão cumprir o meu papel. As crises de labirintite ficaram mais frequentes e por ordens médicas não posso dirigir, ficando impedido de sair da cidade de Caratinga e fazer atendimento em Ubaporanga, até meu restabelecimento. Tal fato foi avisado no posto de saúde de Ubaporanga que conforme narrado acima, o último atendimento ocorreu em 21/11/2018, e de forma estranha na data de 04/12/2018 houve todo um cenário montado para dizer que eu não fui atender os pacientes marcados no posto de saúde de Ubaporanga. Sempre pautei meus princípios visando o melhor ao próximo e por isso mesmo escolhi a medicina para salvar vidas, jamais deixaria um paciente esperando, nunca sofri qualquer processo disciplinar e muito menos deixaria uma cidade em que existe somente um Posto se saúde sem atendimento. Houve erro na administração e estão querendo imputar a mim uma responsabilidade que não é cabível. Sou ser humano, preciso cuidar da minha saúde e dirigir da forma como me encontro seria colocar em risco não só minha vida como a de outras pessoas”.

O jornalismo do Super Canal procurou a Secretária de Saúde de Ubaporanga, Kênia Fernanda Soares da Silva de Azevedo. Como ela está de licença médica, pois passou por uma cirurgia, quem conversou com nossa reportagem foi seu substituto Hiury George Garcia. Questionamos quais são as providências tomadas em casos como este: “Quando um funcionário falta de serviço, se não tiver atestado, vai ser falta. Mas se faltar em um local de serviço e estiver trabalhando em outro aí isso já requer uma penalidade, o município tem que autuar esse funcionário. Em relação à demissão eu acredito que possa acontecer pois ele está em período probatório e ele não pode tirar uma licença sem vencimento, senão ele teria feito isso, porque ele tem outros vínculos. Só que ele não está cumprindo com este vínculo no horário devido. Então todo funcionário que não pode estar no seu horário de serviço, tira uma licença sem vencimento. Eles devem tomar alguma atitude na prefeitura em relação a essa questão.”

Ainda em nota, o pediatra destacou “exijo o mínimo de respeito o que foi divulgado em todas as mídias deve ser retratado, pois conforme o documento em anexo, fui atingido de forma brutal na minha imagem e como profissional, de forma ardilosa e sem qualquer fundamento, portanto, a retratação nos mesmos moldes de faz necessária. Esclarecendo que todas as medidas judiciais estão sendo tomadas em face de todo ocorrido, pois sou pessoa honesta, de boa índole, e caráter, trabalho de sol a sol para cumprir meus compromissos, passei em concurso público para assumir o cargo de médico, não foi nenhuma indicação política, a justiça será feita para que os verdadeiros culpados arcam com as consequências de seus atos”.

ONTEM
O Super Canal entrou em contato com o prefeito de cidade, que participava de um evento em Caratinga, durante a manhã de quarta-feira (05/12), e até esta quinta-feira, às 10h42, não houve um retorno sobre o seu posicionamento. Ainda na data de ontem, o jornalismo do SC entrou em contato com a clínica onde o médico presta serviços e não havia sido dado retorno até os fechamentos da edições pretéritas. Na manhã desta quinta-feira, ele se manifestou através da nota de esclarecimento.

Leia na íntegra a nota de esclarecimento enviada pelo médico Wellington de Souza Mata

NOTA DE ESCLARECIMENTO
Venho através desta notificar V Sa. sobre o abominável episódio ocorrido dia 04/12/2018 na cidade de Caratinga na porta do CASU. Onde de forma inescrupuloso e de cunho manifestadamente político foi feita uma gravação, sem minha autorização e divulgada em meios de comunicado e redes sociais das mais diversas, sem que os fatos fossem averiguados e sem que eu pudesse me manifestar.
Assim venho esclarecer que desde 18/11/2018 estou acometido de labirintite e esgotamento mental fazendo uso de medicamentos constantes, e mesmo assim em 21/11/2018 fiz atendimento em Ubaporanga, pois haviam pacientes me esperando e eu jamais deixei nestes quase 20 anos de profissão cumprir o meu papel. As crises de labirintite ficaram mais frequentes e por ordens médicas não posso dirigir, ficando impedido de sair da cidade de Caratinga e fazer atendimento em Ubaporanga, até meu restabelecimento. Tal fato foi avisado no posto de saúde de Ubaporanga que conforme narrado acima, o último atendimento ocorreu em 21/11/2018, e de forma estranha na data de 04/12/2018 houve todo um cenário montado para dizer que eu não fui atender os pacientes marcados no posto de saúde de Ubaporanga. Sempre pautei meus princípios visando o melhor ao próximo e por isso mesmo escolhi a medicina para salvar vidas, jamais deixaria um paciente esperando, nunca sofri qualquer processo disciplinar e muito menos deixaria uma cidade em que existe somente um Posto se saúde sem atendimento. Houve erro na administração e estão querendo imputar a mim uma responsabilidade que não é cabível. Sou ser humano, preciso cuidar da minha saúde e dirigir da forma como me encontro seria colocar em risco não só minha vida como a de outras pessoas. Exijo o mínimo de respeito o que foi divulgado em todas as mídias deve ser retratado, pois conforme o documento em anexo, fui atingido de forma brutal na minha imagem e como profissional, de forma ardilosa e sem qualquer fundamento, portanto, a retratação nos mesmos moldes de faz necessária. Esclarecendo que todas as medidas judiciais estão sendo tomadas em face de todo ocorrido, pois sou pessoa honesta, de boa índole, e caráter, trabalho de sol a sol para cumprir meus compromissos, passei em concurso público para assumir o cargo de médico, não foi nenhuma indicação política, a justiça será feita para que os verdadeiros culpados arcam com as consequências de seus atos.

Wellington de Souza Mata

47278243_2151354001585923_965011544330993664_n 47580990_2151353994919257_301031543357308928_n 48092416_2151354791585844_2245859062166061056_n




Loading Facebook Comments ...

insta media tv supercanal