Postado por: Raquel Borsari em 04/dez/2013 |

Tipos psicológicos

Com a psicóloga Eneide Caetano

Uma das grandes contribuições de Jung no campo da psicologia está em sua obra Tipos Psicológicos, onde ele classifica o ser humano de acordo com seu tipo. Jung distingue duas atitudes diferentes perante a vida, dois modos de reagir às circunstâncias que se baseiam na maneira como o movimento da energia psíquica – LIBIDO – se processa em relação às pessoas, aos objetos, aos animais e condições do próprio ambiente dificultando ou facilitando nossos relacionamentos e nosso modo de enfocarmos o mundo. O modelo junguiano apresenta duas ATITUDES de personalidade e quatro FUNÇÕES de orientação.

A pessoa que prefere focar a sua atenção no mundo externo de fatose pessoas são classificas como extrovertidas, e/ou no mundointerno de representações e impressões psíquicas são introvertidas. Cada tipo de disposição representa tão somente uma preferência natural do indivíduo no seu modo de se relacionar com o mundo, semelhante à preferência pelo uso da mão direita ou da mão esquerda.

As atitudes, extroversão e introversão, não podem existir ao mesmo tempo na consciência, mas podem alternar-se. Assim sendo, um indivíduo pode ser extrovertido numa situação e introvertido em outra. Porém, uma dessas atitudes predominará, na vida do sujeito, por toda a sua existência.

 

As funções dividem-se em quatro:

Pensamento (ar): É a função cujo processo associativo de ideias busca conceituar ou solucionar um problema. Portanto, trata-se de uma função extremamente intelectual. Os indivíduos pensamento são reflexivos, planejadores e julgam através da lógica.

Sentimento (água): Sendo uma função avaliadora aceita ou rejeita uma ideia, avaliando o sentimento agradável ou desagradável proporcionado por tal ideia. Os indivíduos sentimento tomam as decisões pelo julgamento de valores próprios como o certo ou o errado; o bom ou o mau.

Sensação e Intuição – são estados mentais que crescem através de estímulos atuantes no indivíduo, que percebe o mundo além da lógica e da razão.

Sensação (terra): A percepção do mundo se dá através das experiências conscientes que estimulam os cinco sentidos, além das sensações do interior do corpo.

Intuição (fogo): É uma experiência imediata que não exige nenhum julgamento e surge do nada. Os indivíduos veem o que está no mundo interior, percebendo o mundo através do inconsciente.

 

A diferença de atitude pode causar desentendimentos e dificuldades nos relacionamentos, embora, por estranho que pareça, cada tipo tenha acentuada tendência a se relacionar com o seu oposto. Um homem tranquilo e pensativo escolhe uma mulher viva e sentimental, que orienta as atividades sociais capazes de impulsionar a sua carreira ou os seus negócios; a mulher tímida e reservada conquista um marido cujo maior prazer é deixa-la bem disposta em casa e atirar-se para as batalhas do mundo. Tudo corre bem, enquanto o seu objetivo principal consistir em se adaptarem às inúmeras necessidades da vida: realizar uma carreira, constituir família, garantir uma posição financeira segura. Se se contentam com permanecer neste nível, o seu casamento pode aparecer como ideal (ao menos para o exterior); mas, se aspiram a um entendimento autêntico ou a uma camaradagem mais completa, surgem as dificuldades – falam uma linguagem diferente, os valores de um são negação do valor do outro.Criticam os interesses (ou a pretensa falta de interesse) um do outro e dos amigos de cada um; o extrovertido esforça-se por incitar o outro à ação, e este lamenta-se amargamente da agitação do companheiro, sentem-se ambos incompreendidos, o que pode induzir à autocompaixão ou à procura de alguém que tenha a necessária simpatia e compreensão ou, pelo menos. Por vezes, a tolerância e tentativas de reconhecimento dos valores do outro estabelecem ao menos por algum tempo uma ponte por cima do abismo, mas não é raro gerar-se um violento e venenoso estado de guerra mesmo que esta, como Jung observa, seja conduzida na mais perfeita intimidade. A verdadeira solução deste problema reside no desenvolvimento pleno da personalidade de cada um, o que, em muitos casos, só pode conseguir-se com ajuda profissional.

SONHOS

Os sonhos têm uma função compensadoradas posturas conscientesunilaterais. Neles, sempre irá se manifestar simbolicamente as situações opostas ao que vivenciamos conscientemente, então, por exemplo, uma pessoa extrovertida tende a sonhar as atitudes introvertidas de sua natureza, o mesmo vale para os introvertidos e a função inferior, menos desenvolvida, tende a se manifestar também nos sonhos. A supervalorização das situações conscientes trará o aspecto oposto no inconsciente, ou seja, um indivíduo demasiado ambicioso que pretende galgar posições elevadas na sociedade terá sonhos que o depreciem, o diminuam. Estes últimos são sonhos redutores, modalidade dos sonhos de compensação. Vê-se, portanto, que um sonho não poderá ser corretamente interpretado sem que seja conhecida a situação consciente. Não há leis estabelecidas da compensação onírica porque a compensação varia conforme o caso.

 




Loading Facebook Comments ...

insta media tv supercanal