Postado por: Raquel Borsari em 09/nov/2017 |

Morrem duas das quatro palmeiras imperiais plantadas no lugar das que foram cortadas

Replantio de novas mudas será feito pela empresa contratada pela prefeitura sem novo custo para o município, segundo secretário de Meio Ambiente

Duas das quatro novas palmeiras imperiais, que foram plantadas em 07 de junho deste ano, morreram. A prefeitura comprou novos exemplares de palmeiras porque as antigas tinham risco de queda e precisaram ser cortadas. A empresa que venceu a licitação para o fornecimento e plantio das mudas foi a Agrominas Comércio de Plantas Ltda – EPP. A empresa é da cidade de Dona Euzébia, Minas Gerais. O secretário de Meio Ambiente, Jaider Pascoaline, informou que vários fatores contribuíram para a morte das palmeiras e já era previsto que isso poderia acontecer.

Entre os fatores citados por Jaider, que contribuiu para que as palmeiras viessem a morrer, está a questão climática. Ele explicou que as mudas vieram de outra região do estado (Ubá), que tem o clima mais ameno. “A questão de adaptação de um lugar para o outro. Lógico também, que tem a questão do transporte, que dependendo do modo como é feito, pode afetá-la. Mas isso era previsto e que poderíamos ter perdas de algumas palmeiras, de até três delas. Existe essa questão, é um vegetal”, disse.

O jornalismo do Super Canal produziu a reportagem após a sugestão de um telespectador. A prefeitura gastou R$ 15 mil com o plantio das palmeiras. Preocupado com o dinheiro público, o telespectador questiona se houve garantia de replantio por parte da empresa contratada, caso alguma palmeira plantada morresse. “Todas elas serão substituídas sem nenhum ônus para o município. Isso já era previsto em contrato com a empresa. Já entramos em contato com essa empresa e eles estão cientes dessa perda. Estamos alinhados com a empresa para realizar a substituição”, disse Jaider.

Segundo o secretário de Meio Ambiente, um dos sinais de que as palmeiras estavam morrendo foi a perda de folhagem. Além disso, as palmeiras começam a ficar ocas por dentro. A previsão é de que as palmeiras que morreram sejam substituídas por novos exemplares em janeiro. De acordo com Jaider, as outras duas palmeiras que substituíram as árvores antigas ainda estão saudáveis. 61 palmeiras contornam a Praça Cesário Alvim, no Centro de Caratinga. Elas são a marca registrada do cartão postal da cidade. São elas fizeram com que Caratinga ficasse conhecida como “Cidade das Palmeiras”. A contração da empresa, segundo o secretário da pasta, também incluiu o tratamento fitossanitário das palmeiras.




Loading Facebook Comments ...
 





    

Banner-Super-Canal

santamonica1foto1 (1)favenicdsl