Postado por: Raquel Borsari em 10/ago/2017 |

Ações para população em situação de rua serão intensificadas em Caratinga

Problema social tem incomodado moradores da cidade e preocupado poder público

Gestores das políticas setoriais, como educação, saúde e desenvolvimento social, além de demais representantes do poder público e dos órgãos da segurança pública se reuniram, durante esta quinta-feira (10/08), com o objetivo de unir esforços para que os direitos da população em situação de rua sejam garantidos. A assistente social Gisele Rismo, informou que hoje existem 33 pessoas, sendo 9 mulheres e 24 homens cadastradas como população em situação de rua, por meio do Serviço de Abordagem Social.

 

Sequence 03 Sequence 03_1 Sequence 03_3 Sequence 03_4 Sequence 03_5 Sequence 03_6 Sequence 03_7 Sequence 03_8 Sequence 03_9

 

Segundo ela, ações são desenvolvidas semanalmente com a finalidade de realizar cadastros e identificar quem são essas pessoas em situação de rua. A reunião promovida pelo Centro de Referência de Assistência Social (CREAS), por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes), foi feita para discutir e avaliar as ações que já são realizadas para essas pessoas em situação de rua e propor o que pode ser melhorado.

A técnica de Referência da População de Rua disse que, das 33 pessoas identificadas pela Abordagem Social, 21 são de Caratinga. As outras são de outros estados e de cidades vizinhas. O perfil dessas pessoas em situação de rua é geralmente de cidadãos que têm um histórico de vínculos familiares e sociais rompidos e que a grande maioria não tem emprego fixo.

A população em situação de rua que tem ocupado a Praça Cesário Alvim – cartão postal de Caratinga – fazendo do local sua moradia, pedindo esmolas e até mesmo usando álcool e drogas, vem incomodando e preocupando os moradores da cidade, que passam pela “Praça das Palmeiras”. Tenente Vicente, da Polícia Militar, fez um balanço positivo do encontro e disse que todas as partes envolvidas nesta discussão têm o intuito de solucionar este problema social.

Para a secretária de Desenvolvimento Social, Sônia Gomes, a população em situação de rua de Caratinga vinha gradativamente no decorrer dos anos sendo atendida, mas que era necessário verificar que as ações precisavam ser intensificadas. “Com esta visão e com algumas visitas ao governo do Estado, na Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), os técnicos perceberam a necessidade de ampliarmos essa discussão, ou seja, uma ação intersetorial, várias áreas dentro do poder público, nessa corresponsabilidade. Saímos daqui com alguns direcionamentos e montamos uma Comissão para assuntos específicos a esta população”, disse a secretária.

Dentre as ações a serem desenvolvidas pela Secretaria de Desenvolvimento Social estão intensificar o acompanhamento do PAEFI (Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos) para a população em situação de rua, natural de Caratinga, com o objetivo de reinserção familiar; tratamento para dependência química; ofertar o serviço de passagem para os que não são de Caratinga; e intensificar a campanha “Não Dê Esmolas, Doe Cidadania”, já a partir da próxima semana, entre outras ações.




Loading Facebook Comments ...
 





    

Banner-Super-Canal

anunciosantamonica150foto1 (1)