Postado por: Raquel Borsari em 15/mar/2017 |

Servidores fazem manifesto silencioso contra atraso salarial na Câmara

Possibilidade de paralisação não está descartada

O atraso salarial dos servidores públicos municipais da Prefeitura de Caratinga referente ao mês de dezembro, mais uma vez, voltou à pauta de discussões da Câmara de Caratinga, durante a sessão desta terça-feira (14/03). A reunião foi marcada pelas presenças dos servidores, que fizeram um protesto silencioso, e da nova presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Caratinga (Sindserc), Bruna Ribeiro.

A categoria recorreu à Câmara novamente nesta terça para cobrar e reivindicar o apoio dos vereadores. No último dia 10, a presidente do Sindicato protocolou um ofício para a prefeitura elaborado pela assessoria jurídica, dando um prazo de 15 dias para que o prefeito Dr. Welington apresente uma data prevista para o pagamento dos servidores com salários atrasados. O Sindicato aguarda o prazo para que o Executivo responda a esse ofício. A expectativa do Sindicato é obter uma resposta positiva para os servidores.

Durante a sessão, o vereador Mauro César pediu ao líder de governo na Câmara, o vereador Diego Oliveira, que leve a reivindicação da categoria ao secretário de Fazenda, Pedro Lomar, sugerindo uma reunião entre o Sindicato, o gestor da pasta e os servidores, principalmente, os contratados que foram dispensados e não tiveram os seus acertos pagos pela prefeitura.

Segundo Mauro, todos os vereadores vêm sendo cobrados em relação aos salários atrasados dos servidores e é preciso encontrar uma solução mais rápida, se possível ainda neste mês, para girar a economia local. O vereador Rômulo Fabrício Costa, o Rominho, também comentou sobre a situação da categoria, dizendo que desde a primeira reunião o assunto vem sendo discutido na Casa. Rominho destacou que, o que o Executivo precisar esta atual legislatura está à disposição para que o problema seja solucionado.

Já o vereador Johny Claudy disse que esta questão salarial dos servidores já deveria ter sido resolvida há muito tempo. Ele afirmou que o município já teria arrecadado em torno de 17 milhões de reais com o IPVA e acha que parte do valor pode ser destinada para o pagamento do funcionalismo público. O vereador comentou ainda que vem encontrando com algumas pessoas, que não têm como pagar o aluguel nem comprar o que comer devido a este atraso salarial.

Diego, líder de governo na Câmara e porta-voz do Executivo, lamentou a situação dos servidores e disse que a Casa tem feito com afinco as cobranças necessárias.

O vereador que também é vice-presidente da Câmara pediu que o secretário de Fazenda seja convocado para a próxima reunião e apresente explicações e uma programação aos servidores. A presidente do Sindicato disse que após o prazo de 15 dias dado ao prefeito, se não houver uma resposta plausível, uma assembleia será convocada. A possibilidade de uma paralisação não está descartada.

“O país já está em crise e esta é uma situação que só veio para piorar. O Sindicato está a favor do servidor público e o que puder fazer, vamos fazer. O Sindicato não ficará omisso”, disse Bruna. O presidente da Câmara, o vereador Valter Cardoso, disse que a convocação do secretário de Fazenda já está em andamento.




Loading Facebook Comments ...
 





    

Banner-Super-Canal

anunciosantamonica150foto1 (1)