Postado por: Raquel Borsari em 04/dez/2014 |

Jogos de vídeo game violentos podem interferir no comportamento da criança

Com a psicóloga Eneide Caetano

A exposição da criança à televisão e jogos eletrônicos foi associada com o fato de a criança ser considera um intimidador e estar susceptível a sofrer bullying, que são as atitudes agressivas intencionais que ridicularizam o outro, como comentários maldosos, apelidos ou piadas que caracterizam alguém como inferior, causando dor e angustia, tornando possível a intimidação da vitima.

Programas que contêm exemplos de pessoas comportando-se com falta de respeito para com outras, pode servir de modelo para crianças embarcarem no tipo de abuso que é qualificado como intimidação e assédio moral. Muitos programas e jogos contêm agressão dirigida também contra mulheres, tratando-as como objeto, induzindo à atitude machista.

A exposição à brutalidade na TV e em vídeo games foi associada com uma baixa empatia, ausência de compaixão e igualmente produz uma diminuição na sensibilidade. Ao motivar a violência, a TV e certos jogos fazem com que ela constitua em normalidade, o indivíduo passa a encarar o mundo como sendo violento por natureza. A dessensibilização vai se estabelecendo, frequentemente, quando as crianças vêm na TV alguém ser morto, espancado ou maltratado, essa ocorrência não é distinguida da realidade. Somente mais tarde crianças conseguem distinguir adequadamente fantasia de realidade. Quando na vida real ocorre uma situação de excitação semelhante e a adrenalina é despejada, o indivíduo reage precisamente da mesma maneira, principalmente se o ambiente em que vive também é agressivo.

Vídeo games, que têm agressão como conteúdo, treinam nossas crianças para a violência. Os pais, permissivos em geral, não estão impondo os necessários limites aos filhos, ou estão vivendo numa perigosa ignorância dos terríveis efeitos dos jogos causada por programas, filmes, internet e jogos eletrônicos violentos.

O cenário da mídia moderna de entretenimento pode ser descrita com precisão como sendo um instrumento efetivo e sistemático para a dessensibilização. A exibição às crianças e adolescentes à mídia violenta pode reduzir o comportamento de ajuda. Pessoas expostas à violência na mídia tornam-se insensíveis à dor e ao sofrimento dos outros e consequentemente são menos prestativas.

Crianças e jovens aprendem e são condicionados a considerar que o mundo é violento e que a violência é uma maneira eficaz de se resolver conflitos. Assim, a visão inconsciente de mundo adquirida pelos meios eletrônicos é a de que ele é violento e a violência compensa.

Crianças deveriam justamente serem educadas para a sensibilidade social, a cooperação e a compaixão. Vendo filmes violentos, inclusive os desenhos animados, que em geral contêm pancadarias do começo ao fim, e jogando vídeo games violentos, provavelmente elas não chegam a desenvolver as características sociais fundamentais a fim de que se tenha uma humanidade com mais tolerância, paz e mais amorosa para que todos possam “VIVER MELHOR”!




Loading Facebook Comments ...
 





    

Banner-Super-Canal

anunciosantamonica150foto1 (1)